Testando módulo país

por Redação

A bomba em causa é uma GBU-43 com dez toneladas e foi desenvolvida durante a guerra no Iraque

Pela primeira vez na História, os Estados Unidos largaram a sua bomba não nuclear mais potente — foi sobre as cavernas usadas pelo grupo jihadista Daesh na província afegã de Nangarhar, na fronteira com o Paquistão. O mundo aguarda possível retaliação da Rússia. Presidente Vladimir Putin enviou alerta aos EUA na semana passada e enviou tropas em ajuda ao regime de Assad na Síria.

A notícia foi avançada pela CNN e já confirmada pelo porta-voz da Casa Branca, Sean Spicer. Na conferência de imprensa diária, o porta-voz precisou que a bomba lançada foi uma GBU-43, também conhecida como MOAB (iniciais de Mother Of All Bombs, ou "mãe de todas as bombas).

O responsável não avançou muitos pormenores e disse que o Presidente dos EUA, Donald Trump, poderá falar por volta das 14h locais (19h em Portugal continental).

A bomba em causa é uma GBU-43, com mais de dez toneladas. Foi desenvolvida durante a guerra do Iraque, iniciada em 2003, e testada na Florida.

O nome pelo qual veio a ser conhecida é uma alusão às declarações do então líder iraquiano, Saddam Hussein, antes da primeira guerra do Golfo, em 1991, de que essa seria "a mãe de todas as batalhas".

A bomba foi lançada às 19h00 locais (15h30 em Portugal continental) por um avião MC-130, operado pelo Comando de Forças Especiais da Força Aérea, disse o porta-voz do Pentágono, Adam Stump.

(Assista aqui vídeo da superbomba)